Março Amarelo: O Cuidado com os rins nas nossas mãos. 

2019-03-06T14:00:47+00:00 março 6th, 2019|Sem categoria|

MARÇO AMARELO: O CUIDADO COM OS RINS NAS NOSSAS MÃOS.

 

A mensuração da pressão arterial em cães e gatos é importante nos atendimentos clínicos veterinários. Assim como em humanos, é essencial a aferição pois o aumento da pressão arterial nos pets pode não causar sintomas no início, sendo de caráter silencioso. A monitoração da pressão arterial permite a avaliação do paciente e pode trazer informações sobre a saúde do pet e deve ser feita periodicamente, de maneira individual e de acordo com o perfil de cada um. O valor da pressão arterial normal pode variar entre 90 à 140mmHg, mas em consultório pode apresentar valores maiores.

A hipertensão arterial é o aumento confirmado e sustentado da pressão arterial, acima de 150mmHg, podendo causar ou não sintomas, que dependem da magnitude do aumento e do tempo que o paciente está hipertenso. A hipertensão em cães e gatos pode estar associado às doenças renais, endócrinas, alimentar ou comportamentais. Os órgãos alvo da pressão arterial alta, ou seja, os que tem maior risco de serem lesionados são: olhos, cérebro, rins e coração. Em cães e gatos, apenas 20% podem desenvolver hipertensão arterial sistêmica sem que seja identificada uma causa de base, os outros 80% estão correlacionados com alguma doença. Mas para a aferição da pressão nos pets é necessário ter critérios, pois fatores estressantes, desde o ambiente do consultório, assim como o “estresse do jaleco branco” são responsáveis por subir até 30mmHg da pressão durante a avaliação, interferindo no diagnóstico da hipertensão.

(arquivo pessoal: Dr. Hugo Cardoso, especializado em Nefrologia e Urologia aferindo pressão arterial de um paciente.)

Confirmada a hipertensão arterial, o médico veterinário deverá investigar as principais causas de aumento da PA e instituir tratamento. A doença renal crônica é uma das principais causas de hipertensão em cães e gatos. Além disso, a hipertensão é um fator que causa lesão renal, comprometendo a doença renal já existente. A doença renal crônica é caracterizada por lesão duradoura, extensa, irreversível e progressiva dos rins. No início, o paciente não apresentará sintomas perceptíveis pelos tutores que os fará os levar para o atendimento veterinário. Os sintomas aparecerão quando 75% dos rins estiverem comprometidos, apresentando insuficiência. Nesse momento, os exames complementares de sangue e urina também apresentarão alterações, como aumento da creatinina sanguínea. Atualmente existem exames que podem identificar uma lesão precocemente, antes que haja perda renal.

O mês de março é dedicado à conscientização sobre as doenças renais tanto em humanos quanto nos animais. O “ Março Amarelo” é uma campanha realizada na Medicina Veterinária com intuito de levar informações sobre o que é a doença renal nos pets, como diagnosticar e os tratamentos envolvidos. A doença renal crônica por não ter cura, necessita de um acompanhamento de perto, com disponibilidade atualmente de serviços especializados em nefrologia veterinária, que darão suporte ao paciente para controle da doença e qualidade de vida aos pacientes. A doença renal não é o fim, mas o início de muito cuidado com os cães e gatos acometidos.

Hugo Cardoso Martins Pires, médico veterinário especializado em Nefrologia e Urologia do CMV Jardim América.

Thamyres Ferreira Novais, médica veterinária do CMV Jardim América.