Nosso pet pode gripar ?

2019-07-16T11:43:26+00:00 julho 16th, 2019|Sem categoria|

Assim como nós, os cães também podem gripar. Nesses meses de junho e julho é comum atendermos muitos pacientes com queixa de espirros e tosse. Existe dois tipos de gripe canina: a gripe em si, que é causada por vírus e a traqueobronquite infecciosa canina. Os sinais da gripe variam de acordo com a imunidade de cada pet, por isso precisamos ter muita cautela porque pode evoluir para pneumonia muito rápido e quanto mais demorado o diagnóstico e tratamento, mais ruim pode ser o prognóstico.

A transmissão pode ser por contato direto com secreções expelidas pelo cãozinho acometido ou por micropartículas no ar. Nos passeios, que tem socialização com outros cães, que frequentam escolinha ou creche devem ser avaliados periodicamente pelo médico veterinário. Mas não se preocupe, fazendo exames de acompanhamento e checkup nos meses de incidência, conseguimos controlar bastante esse problema. Por isso fique de olho se o seu pet apresentar sinais como: tosses, espirros, cansaço e prostração, pode ser início de algum quadro de infecção respiratória.

Mediante a consulta, serão pedidos exames de sangue e raios-x para que o médico veterinário saiba como está a saúde do seu filho de quatro patas e inicie o tratamento se necessário. E quer saber algo legal nessa história? Existe vacinação que ajuda a amenizar os sinais da traqueobronquite infecciosa canina. Converse com seu veterinário de confiança e saiba mais sobre esse procedimento.

Os gatos podem apresentar sintomas bem parecidos com uma gripe. A rinotraqueíte viral felina, é uma (e geralmente a principal) doença respiratória dos gatos causada pelo herpesvirus felino. A transmissão pode ser por contato direto ou pelo ar, por partículas de aerossóis. Outras doenças também podem causar sintomas semelhantes à gripe nos gatinhos.

A Clamidiose felina é causada por uma bactéria que provoca alteração ocular, congestão e descarga nasal e é transmitida por contato direto com um animal contaminado. A  Leucemia felina (FeLV) e a imunodeficiência felina (FIV) são doenças virais que acometem vários sistemas do organismo e geram sinais inespecíficos, por isso são confundidas muitas vezes com outras doenças. São transmitidas principalmente pela mordedura e podem causar perda de peso, febre e infecção de via respiratória.

Sinais como tristeza, diminuição de apetite, espirros, tosses, secreção nasal e secreção ocular, irritação ocular e falta de higiene (diminuir lambedura) podem ser indícios de problema de saúde. Como existem algumas doenças que podem gerar o mesmo sinal clínico, é importante que sejam feitos exames investigativos para chegar ao diagnóstico, pois cada patologia responde diferente à diferentes medicamentos. É importante levar seu gatinho para uma avaliação com médico veterinário caso ele apresente algum desses sintomas para que seja feito o diagnóstico e inicie o tratamento.

Hoje temos no protocolo de vacinação a vacina múltipla V5 que protege seu gatinho contra rinotraqueíte, calicivirose, panleucopenia, leucemia felina e clamidiose, ajudando a prevenir que haja infecção por algumas dessas doenças. Antes de ser instituído o protocolo vacinal é importante que seja feito exame de sangue (hemograma) e teste de FIV e FeLV do seu amiguinho.

 

 

Thamyres Novais- médica veterinária atuante em clinica geral e serviço de nefrologia e urologia do CMVJA.