Outubro Rosa

2018-10-17T19:03:24+00:00 outubro 17th, 2018|Cães, Serviços|

 

 

Em 1990, nos Estados Unidos foi criado um movimento chamado: Outubro Rosa, com o intuito de abordar e estimular a população ao diagnóstico e controle do câncer de mama. Este movimento foi introduzido na medicina veterinária com a mesma intenção. Estima-se que da população canina, 45% das cadelas e 30% das gatas são acometidas com neoplasmas mamários. O Crescimento exagerado (proliferação) de algumas células é chamado de hiperplasia e a neoplasia é o aumento descontrolado de algum tecido ou alguma célula específica do corpo, formando geralmente uma massa. Partindo deste princípio, fica mais fácil entender sobre o assunto que este mês aborda: Neoplasias mamárias. As neoplasias podem ser benignas: geralmente possuem um crescimento lento e causam menos problemas no organismo; e malignas: possuem um crescimento mais acelerado e podem provocar no organismo consequências negativas, tomando uma grande proporção e impacto sobre o indivíduo. A forma de avaliação por parte do tutor é bem simples: com um carinho já é possível identificar alguma alteração de textura nas mamas (pele ou glândula), a presença ou não de dor e alteração de coloração de mama e mamilo. Com o mesmo toque, pode ser checado a região axilar e inguinal do pet. Um ato simples que pode ajudar em um diagnóstico as vezes precoce. Uma vez identificadas as alterações, uma consulta médica deverá ser o próximo passo: a partir daí, será escolhida a melhor forma de pesquisa e caso necessário, as formas de tratamento. O profissional com melhor capacidade para esse tipo de atendimento é o médico veterinário oncologista.

Como esse assunto gera bastante dúvidas, nossa médica veterinária especializada em oncologia e cirurgias reconstrutivas, Dra Késia, irá responder algumas questões que são hoje as mais feitas nos nossos consultórios.

– Apenas cadelas tem câncer de mama?

Não. As gatas também podem desenvolver neoplasma mamário. A maioria das gatas com neoplasma mamário, são acometidas com neoplasmas malignos e mais agressivos, por isso assim que identificados, devem ser levadas para um atendimento para obter tratamento logo no início.

– Os tumores de mama só ocorre em animais velhos?

Não necessariamente. Normalmente ocorre após 6 a 8 anos de idade, porém podem ocorrer em animais mais novos, apesar de ser menos frequentes.

– Minha cadela/gata é de raça, ela pode não desenvolver câncer de mama devido à pureza da raça?

Não. O câncer mamário ocorre independente da raça, podendo acometer qualquer uma delas nas espécies caninas e felinas (espécies abordadas por nós no atendimento clínico).

– É verdade que a castração diminui a incidência de câncer de mama?

Sim! Os Animais castrados de forma precoce, por receberem menos estímulos hormonais acabam se beneficiando da castração e diminuindo a chance de desenvolver tumores mamários. Hoje se preconiza a castração precoce, logo após o primeiro cio.

– Não consigo castrar minha cadelinha/gata. Posso aplicar o anti- cio?

Não. O anti-cio é uma grande quantidade de hormônio aplicado no organismo e isso predispõe ainda mais ao aparecimento do neoplasma mamário.

– Tenho um cãozinho macho. Eu posso ficar tranquilo e despreocupado em relação às neoplasias mamárias?

Cães machos também podem desenvolver neoplasmas mamários. E na maioria dos casos, machos com alterações mamárias são tumores malignos.

– Identifiquei um carocinho na mama da minha companheirinha. E agora?

Assim que for identificado, leve imediatamente ao médico veterinário para realizar um exame de citologia (este exame permite identificar a origem desse aumento de tecido, se maligno ou não) e a partir disso, realizar o tratamento mais adequado. A Citologia é um exame realizado no consultório e em poucos dias já obtemos o resultado.

Msc. Késia Santos, médica veterinária especializada em Oncologia veterinária do CMV Jardim América;

Thamyres Novais, médica veterinária CMV Jardim América.